Ambiência na Casa Espírita

Objetivo: demonstrar como pequenas ações podem atrapalhar a nossa ambiência e o que precisamos fazer para auxiliar nos trabalhos que acontecem na Casa Espírita.

Atividades:
Dinâmica inicial: arrumar as cadeiras em duas fileiras de frente para a parede. Dizer que faremos um teste, aqueles que conseguirem ficar 4 minutos tranquilos naquela posição sem levantar ou falar ganharão um prêmio.

Anunciar o início do tempo e fazer um discurso sobre a casa espírita (usar como base o livro Dimensões Espirituais do Centro Espírita):

"O Centro Espírita é muito mais do que a casa física que lhe serve de sede. Transcende às paredes, aos muros que o circundam e ao teto que o cobre. Em verdade, o Centro Espírita é um complexo espiritual em que se labora nos dois planos da vida, o físico e o extrafísico, e com as duas humanidades, a dos encarnados e a dos espíritos desencarnados. 

Já há muito sabemos que as planificações espirituais antecedem as dos encarnados, por isso se diz, comumente, quando se pensa e projeta uma obra espírita, que esta já estava edificada na espiritualidade.

Os alicerces espirituais, portanto, são "levantados" bem antes, servindo de modelo para a obra que se pretende edificar no plano terreno. 

Não há necessidade de que a obra seja luxuosa ou grandiosa, ela poderá ser uma casinha simples, despojada, de acordo com a realidade local, e ter uma atmosfera espiritual resplandecente, resultante do trabalho que ali se realiza

O Centro Espírita tem por finalidade o estudo e a prática da Doutrina dos Imortais, onde se iluminam os Espíritos, aprendendo, na convivência fraternal, a experiência da solidariedade, do trabalho e da tolerância, a fim de poderem avançar no rumo da plenitude.

Resultado das vibrações harmônicas dos seus idealizadores e membros dedicados, constitui-se num santuário de bênçãos, por cujo intercâmbio vibrató- rio os desencarnados e os encarnados convivem em clima da mais santa fraternidade. Oficina de trabalho edificante, é também hospital para as almas aturdidas e enfermas, que necessitam de libertar-se das más inclinações, dos vícios e morbosidades, adquirindo a saúde ideal.

É, da mesma forma, escola de educação integral, por facultar a aprendizagem das Leis da Vida, insculpindo-as no íntimo, de maneira que sejam renovadas as atitudes e os comportamentos em benefício próprio e do próximo, no rumo do Pai Amantíssimo.

Igualmente é o lar que propicia a legítima fraternidade, no qual se limam as arestas dos desentendimentos e se trabalham os sentimentos de união e de unificação, objetivando o serviço de libertação de consciências e a conquista da paz".   


Após 1 minuto, acender sem que eles percebam um 'barbante que fede' e observar as reações (no Google você encontra dicas de como criar).

Resgate: Foi fácil manter a concentração, ficar tranquilo ouvindo o facilitador? o que atrapalhou? que outras situações atrapalham a nossa tranquilidade em casa, na escola... e na Casa Espírita? (ouvir os comentários).

Falar sobre brigas, roupas, palavrão, utilização do celular, conversas, pensamentos...

Alguém sabe os trabalhos que são realizados na Casa e como a espiritualidade atua neles? O quanto somos responsáveis por manter a ambiência na Casa Espírita? (subsídio para estudo: https://www.youtube.com/watch?v=IKjk-jXr7cQ)

Aproveitar este momento para apresentar aos jovens os trabalhos da Casa Espírita e convidá-los a ajudar naqueles que é permitido. É muito importante que o evangelizador converse com a diretoria da Casa Espírita e relacione as atividades que podem ser auxiliadas pelos mais novos como por exemplo coral, ambientação musical e arrumação do refeitório.

Encerramento: Passar o vídeo 'Invasão na Casa Espírita' do Amigos da Luz (https://www.youtube.com/watch?v=fPysfG1gEgg). Encerrar falando sobre a importância de cada um fazer a sua parte na manutenção da ambiência para que os trabalhos aconteçam da melhor forma possível, inclusive os nossos estudos.


Conteúdo:

"Não se trata somente de uma construção física, adequada às necessidades de natureza educativa, mas, sobretudo, de uma edificação espiritual, cujas bases devem estar fincadas na rocha da Espiritualidade, de onde nascem as legítimas realizações para o engrandecimento moral das criaturas humanas. Resultado das vibrações harmônicas dos seus idealizadores e membros dedicados, constitui-se num santuário de bênçãos, por cujo intercâmbio vibratório os desencarnados e os encarnados convivem em clima da mais santa fraternidade". Bezerra de Menezes. Dimensões Espirituais do Centro Espírita

Ensina Bezerra de Menezes: As vibrações disseminadas pelos ambientes de um Centro Espírita, pelos cuidados dos seus tutelares invisíveis; os fluidos úteis, necessários aos variados quão delicados trabalhos que ali se devem processar, desde a cura de enfermos até a conversão de entidades desencarnadas sofredoras e até mesmo a oratória inspirada pelos instrutores espirituais, são elementos essenciais, mesmo indispensáveis a certa série de exposições movidas pelos obreiros da Imortalidade a serviço da Terceira Revelação. Essas vibrações, esses fluidos especializados, muito sutis e sensíveis, hão de conservar-se imaculados, portando, intactas, as virtudes que lhe são naturais e indispensáveis ao desenrolar dos trabalhos, porque, assim não sendo, se mesclarão de impurezas prejudiciais aos mesmos trabalhos, por anularem as suas profundas possibilidades. Daí porque a Espiritualidade esclarecida recomenda, aos adeptos da Grande Doutrina , o máximo respeito nas assembleias espíritas, onde jamais deverão penetrar a frivolidade e a inconsequência, a maledicência e a intriga, o mercantilismo e o mundanismo, o ruído e as atitudes menos graves, visto que estas são manifestações inferiores do caráter e da inconsequência humana , cujo magnetismo, para tais assembleias e, portanto, para a agremiação que tais coisas permite, atrairá bandos de entidades hostis e malfeitoras do invisível, que virão a influir nos trabalhos posteriores, a tal ponto que poderão adulterá-los ou impossibilitá-los, uma vez que tais ambientes se tornarão incompatíveis com a Espiritualidade iluminada e benfazeja.

Um Centro Espírita onde as vibrações dos seus frequentadores, encarnados ou desencarnados, irradiem de mentes respeitosas, de corações fervorosos, de aspirações elevadas; onde a palavra emitida jamais se desloque para futilidades e depreciações; onde, em vez do gargalhar divertido, se pratique a prece; em vez do estrépito de aclamações e louvores indébitos, se emitam forças telepáticas à procura de inspirações felizes; e ainda onde, em vez de cerimônias ou passatempos mundanos, cogite o adepto da comunhão mental c om os seus mortos amados ou os seus guias espirituais; um Centro assim, fiel observador dos dispositivos recomenda - dos de início pelos organizadores da filosofia espírita, será detentor da confiança da Espiritualidade esclarecida, a qual o elevará à dependência de organizações modelares do Espaço, realizando-se então, em seus recintos, sublimes empreendimentos, que honrarão os seus dirigentes dos dois planos da Vida. Somente esses, portanto, serão registrados no além-túmulo como casas beneficentes, ou templos do Amor e da Fraternidade, abalizados para as melindrosas experiências espíritas, porque os demais, ou seja, aqueles que se desviam para norma s ou práticas extravagantes ou inapropriadas, serão, no Espaço, considerados meros clubes onde se aglomeram aprendizes do Espiritismo em horas de lazer.

Fonte: Dramas da obsessão, Yvonne Pereira. Pelo Espírito Bezerra de Menezes. Rio de Janeiro: FEB, Terceira parte, "Conclusão", item III